maio 29, 2016

[Livros] À Flor da Pele - Helena Hunting (À Flor da Pele #1)

Título Original: Clipped Wings #1
Autor: Helena Hunting
Editora: Suma de Letras
Páginas: 336
Gênero: Ficção, New Adult, Hot
País: EUA
ISBN: 9788581052885
Classificação: ★

_______________

Intenso, sedutor e extremamente delicioso, À Flor da Pele - primeiro volume de uma duologia - é um dos melhores new adults que li neste ano. Dramas pesados se escondem atrás de um romance bonito e bem escrito, assim como lembranças se escondem sob desenhos. Em um livro que fala sobre arte corporal, amor e superação, Helena Hunting nos leva ao cenário alternativo das tatuagens e escreve uma história que ficará marcada nos leitores para sempre.

De uma maneira inovadora, a autora mistura dois protagonistas que possuem comportamentos extremamente divergentes. Fugindo - um pouco - dos clichês, se por um lado há a figura do típico badboy conquistador, do outro não há uma mocinha indefesa, tola e desengonçada. A protagonista feminina de À Flor da Pele é uma jovem que sofreu as piores coisas que alguém poderia sofrer e carrega uma culpa que esmaga seu peito todos os dias. Não há mais inocência em Tenley Page, pelo contrário, há medo de voltar a ser quem ela foi um dia.

Quando os caminhos desses dois se cruzam, as diferenças entre eles se tornam mais evidentes, mas apesar de tudo o que os separa, eles possuem algo em comum: a dor da perda. Seus passados dolorosos, ainda em processo de cicatrização, teimam em lembrá-los de tudo o que eles perderam. Tenley e Hayden encontram um no outro mais do que uma nova chance para amar, uma nova chance para seguir em frente e superar seus problemas. 

Um tatuador excelente, Hayden usa sua arte como forma de se libertar da culpa e se manter na linha. As péssimas escolhas do seu passado vivem atormentando-o e, apesar de todos os dias tentar ser alguém melhor, alguma coisa sempre parece fora do lugar. Seus problemas acabaram por desenvolver uma estranha compulsão por organização, como se ele pudesse arrumar tudo ao seu redor, menos ele mesmo. 

Tenley Page lida com a dor de maneira diferente, evitando-a. Ao se afastar do seu passado e de todas as coisas que restaram de sua antiga vida, a jovem tentou fugir também da culpa pela morte de todos a quem amava, mas se viu perseguida por cada uma das excruciantes lembranças do que aconteceu. Em uma nova vida, ela procura a dor infligida pelas agulhas para bloquear a dor emocional e encontra no seu tatuador uma solução bem mais eficiente. 

A forma como a narrativa se desenvolve é fascinante e ver como cada fragmento do passado de Tenley e Hayden é dissecado, exposto e decomposto traz uma percepção intimista dos dramas de cada um deles. Com os protagonistas, vamos conhecendo seus fantasmas e, assim, seus segredos e o que fez com que eles se tornassem o que são. Em meio a um turbilhão de emoções, os dois percebem que sentem um desejo incontrolável um pelo outro e, talvez isso os torne inteiros novamente.

Helena Hunting nos leva para um mergulho na vida de duas pessoas incríveis que sobreviveram às mais diversas armadilhas do destino e que precisam se manter fortes para sobreviver à mais difícil delas: suas próprias mentes. O medo, a culpa e a dor podem ser tão cruéis quanto qualquer sentença de morte, mas ao contrário desta, matam lentamente e silenciosamente.

Apesar de ter detestado a capa nacional com todas as minhas forças, aprendi com Tenley e Hayden que o que importa é o que há sob as aparências e, no caso de À Flor da Pele, há uma história incrível envolvendo amor, coragem e tatuagens. Agulha e tinta podem imortalizar qualquer lembrança na sua pele e a dor é temporária, mas sob a pele podem se esconder cicatrizes muito mais profundas do que qualquer um possa imaginar. Essas doem infinitamente mais e são as mais belas provas de que é preciso ser forte para aguentar a dor sem que ninguém perceba.

"- Qualquer tipo alteração, seja para modificar as características, como cirurgia plástica, ou para decorar, como piercing e tatuagem, causa algum tipo de desconforto. Mas essa é a intenção, não é? É catártico porque é a promessa de mudança, de um jeito ou de outro. Minhas tatuagens dão à lembrança relacionada àquela arte um lugar para existir fora da minha cabeça, no meu corpo." (p. 40)

Sinopse: Tudo na tímida Tenley Page intriga o tatuador Hayden Stryker de um modo que ninguém jamais conseguiu: do cabelo longo e esvoaçante com aroma de baunilha até a curva suave do quadril... E o interesse dele só aumenta quando ela pede que ele tatue um desenho incomum em suas costas.

Com seu jeito durão, Hayden é tudo que Tenley nunca se atreveu a desejar. A química entre os dois é instantânea e desperta nela o desejo de explorar o corpo escultural que há por baixo de tantas tatuagens. Traumatizada por um passado trágico, Tenley vê em Hayden a chance de um recomeço.

No entanto, o que ela não sabe é que ele também tem segredos que o impedem de manter um relacionamento por muito tempo. Quando os dois mergulham em uma relação excitante e enfim passam a confiar um no outro, lembranças e problemas batem à porta — e talvez nem mesmo a paixão entre eles seja capaz de fazê-los superar seus traumas.

"- É por isso que você quer o desenho nas costas, para cobrir as cicatrizes?
- Não. Isso nunca foi um fator determinante para o local da tatuagem.
- Posso olhar?
- Elas são feias.
- Todo mundo tem cicatrizes, Tenley. Com sorte, elas permanecem só do lado de fora." (p. 164)


maio 26, 2016

[Eventos] Semana Geek - Editora Novo Século


Esta semana (nos dias 23, 24 e 25) a editora Novo Século em parceria com a Saraiva realizou encontros para falar sobre "Guerra Civil" e o impacto dessa história para o Universo Marvel. Estive presente no encontro do dia 25 que aconteceu na Saraiva Mega Store do Shopping Center Norte em São Paulo.

Uma data mais que especial para os nerds, e também para os fãs da cultura nerd, o dia 25 de maio é a data em que se celebra o Dia do Orgulho Nerd, assim como o Dia da Toalha (em homenagem ao gênio Douglas Adams). Como não poderia ser diferente, o evento reuniu os fãs das HQ's, dos filmes e/ou dos romances da Marvel. 

Um evento bem-humorado e interativo, o bate-papo foi interessante e trouxe novos pontos de vista para a discussão sobre a escolha de lados da Guerra Civil. Tais pontos de vistas podem também ser representados como leituras de uma mesma história, contada de maneiras diferentes, em mídias diferentes e para atrair públicos diferentes. 

Time Capitão América desde criancinha, tive ainda mais certeza de que escolhi o lado certo e me preparei para as consequências dessa escolha. Os interesses pessoais, financeiros e/ou políticos de Tony Stark são bem evidentes em qualquer uma das versões: cinematográfica, quadrinhos ou romance. A manipulação e a hipocrisia que cercam suas intenções só não enxerga quem não quer. Mas ok, você pode escolher o outro lado e ainda assim vou te amar. Prometo não te dar um tiro à queima-roupa no estômago, tá? ;) 

Deixando de lado a escolha de lados, Guerra Civil traz um tema bastante complexo: o posicionamento. Quando Capitão América e o Homem de Ferro decidem ficar de lados opostos gerando uma guerra, tal atitude gera um efeito cascata que corrói não só uma amizade, mas também um ideal. O ato de discordarem um do outro faz com que eles se tornem inimigos e sem lados certos ou errados, ambos têm suas razões para tomarem suas decisões. 

Com a presença de Marcelo Campos (que "apenas" desenhou para a Marvel e para a DC Comics), Bruno Fonseca do site Proibido Ler e Vitor Donofrio do editorial da Novo Século, o evento foi mais do que espetacular - sem referências para o nada espetacular Homem-Aranha. Aberto a perguntas e discussões, o encontro foi agradável e o tempo passou mais rápido que Pietro Maximoff. 

Ao final, houve sorteios de brindes e nós, blogueiros, ganhamos um mimo lindo - uma caneca de Guerra Civil. A editora Novo Século reservou nossos assentos com plaquinhas para cada blogueiro, foi a coisa mais linda que uma editora já fez por nós. É tão bom sentir esse reconhecimento, esse carinho recíproco. Foi, definitivamente, o melhor Dia do Orgulho Nerd ao lado de pessoas incríveis e que são tão fãs desse universo quanto eu. Podemos não ser dignos de segurar o Mjölnir, mas sabemos entender referências como ninguém. 

maio 23, 2016

[Livros] A Coroa - Kiera Cass (A Seleção #5)

Título Original: The Crown 
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 310
Gênero: Ficção, Distopia
País: EUA
ISBN: 9788555340048
Classificação: ★

_______________

A Coroa, o tão esperado desfecho da saga A Seleção, foi um paradoxo - surpreendentemente previsível. Se por um lado, todos torcíamos por um ganhador, estávamos também apreensivos pela escolha da mimada Eadlyn Schreave. Sua imaturidade, no entanto, deu lugar a um altruísmo nunca antes visto e se sua escolha não me agradou - assim como a de America também não -, suas atitudes me deixaram orgulhosa da rainha que a jovem se tornou.

Com um ritmo mais lento que o dos livros da trilogia - da trilogia mesmo - A Seleção, a narrativa de Kiera Cass perdeu um pouco seu brilho. O conto de fadas distópico da autora ainda fascina e encanta, mas não tanto quanto encantou no passado. Talvez por causa da sua protagonista, talvez por não ter muita ação ou até mesmo por não tratar de um amor como o de Maxon e America.

Eadlyn de fato evoluiu no último volume da saga e, como eu disse anteriormente, tomou atitudes dignas de seu poder colocando seu povo à frente de seus desejos. No entanto, toda a beleza da Seleção foi apagada, poucos encontros, pouco sentimento e, principalmente, pouca relevância fizeram com que os "selecionados" fossem meros coadjuvantes na história. Até mesmo o que veio a ser escolhido.

A jovem princesa, que agora assume o papel de rainha de Illéa, realmente não estava pronta para o casamento assim como não estava pronta para o trono. As circunstâncias fizeram com que ela tivesse que se adaptar e crescer antes do tempo. Suas recém adquiridas responsabilidades e as inseguranças sociais crescentes de seu povo foram acentuadas e com isso, o desfecho da série foi, assim como em A Escolha, bastante político.

Em meio à crise política que afeta o país, à seleção de um marido em rede nacional, os problemas de saúde de sua mãe, o abandono do irmão gêmeo que fugiu para outro país e suas próprias crises emocionais, Eadlyn tenta não desmoronar. Pelo contrário, a pressão que envolve sua subida ao trono parece impulsioná-la e se antes a princesinha mimada parecia perdida, agora ela demonstra força, determinação e bom senso.

Tentando decidir qual dos garotos mexe mais com ela, a jovem Schreave os diminui à elite e os últimos selecionados acabam sendo os favoritos do público (e dos leitores). É notável que nenhum deles balança o coração dela como America fez com Maxon, e por isso, a decisão é tão difícil. Mais do que indecisa - como sua mãe - Eadlyn simplesmente não quer magoá-los. Analisando a situação por todos os ângulos e levando em conta o coração não só de cada um deles, mas também o seu, ela então toma sua decisão.

Uma boa escolha, a Seleção de Eadlyn é até certo ponto previsível e para muitos - inclusive para mim - decepcionante. O escolhido, no entanto, provou até o último instante ser digno da coroa e também do coração da jovem, mostrando que o amor nem sempre está onde imaginamos encontrá-lo. 

"- Talvez os beijos especiais não sejam os primeiros. Talvez sejam os últimos." (p. 182)

Sinopse: Em A Herdeira, o universo de a Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria seleção. 

Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças… e agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava. 

America Singer e o Príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria seleção. Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças… e agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava.

"- Não há vergonha em amar a quem se ama, e há muita honra em fazer o que é certo. Pena que essas duas coisas não coincidem para nós. Mas isso não diminui a importância deste momento para mim.
- Nem para mim." (p. 222)

maio 17, 2016

[Livros] Os Tambores de Outono - Parte I - Diana Gabaldon (Outlander #5)

Título Original: Drums Of Autumn #5
Autor: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro
Páginas: 576
Gênero: Ficção, Romance Histórico
País: EUA
ISBN: 9788580415087
Classificação: ★

_______________

Em mais uma épica viagem no tempo com Claire e Jamie Fraser, 'Os Tambores de Outono' nos transporta para a América do Norte do século XVIII. Envolvendo história, romance e aventura, Diana Gabaldon toma fôlego na primeira parte do romance e promete mais ação em sua continuação. Sua escrita riquíssima em detalhes me comoveu mais uma vez e, apesar do ritmo lento, prendeu minha atenção na mesma medida que os volumes anteriores.

Suas mais de quinhentas páginas - já características da autora - narram os acontecimentos que sucederam o resgate do jovem Ian. Se conhecer a Escócia por meio de Outlander já havia sido incrível, aprender sobre a história americana têm sido tão surpreendente quanto. Desbravando o mundo, o casal mais apaixonado, corajoso e encantador da ficção, ruma para a colônia americana - que caminhava para se tornar os Estados Unidos da América que conhecemos hoje.

O conhecimento vasto - infindável - de Gabaldon é bastante evidente no quarto volume da série. As descrições de cenário e contexto histórico fazem com que o leitor viaje no tempo junto com a protagonista. Os detalhes bem expostos pela autora aumentam a complexidade da narrativa - já densa - tornando-a tão palpável quanto impossível. Fantástico é um dos adjetivos usados para caracterizar sua vasta obra, mas uma só palavra não é o suficiente para definir tamanho valor. 

Clare e Jamie tentam se estabelecer nas colônias americanas e enquanto enfrentam todo o tipo de obstáculos, desde ladrões perversos até invernos rigorosos, precisam lidar com a forte presença do misticismo em seu relacionamento. A aura mágica em torno dos Fraser torna-se mais visível e, se já existiam mistérios sobre os fantasmas de Outlander, estes ressurgem e trazem com eles um tom mais sombrio à série.

Enquanto isso, Brianna e Roger precisam descobrir sozinhos como lidar com seus sentimentos. A jovem órfã do tempo tenta ignorar seu passado, mas descobre que quanto mais foge de sua história, mais próxima ela está. Dúvidas, descobertas e segredos podem alterar a História? O conceito de tempo é imutável perante o destino? 

Em mais uma obra-prima tão apaixonante quanto cruel, a autora traz cenas fortes, viscerais. Eu não poderia definir Outlander em poucas linhas, afinal, sua complexidade e significado vão além de qualquer definição em palavras. Reconheço que falho miseravelmente a cada resenha da série que escrevo pois é difícil converter emoções em palavras - ao menos para alguém que não é Diana Gabaldon. O amor por Jamie Fraser só cresce e nem o tempo pode fazer com que esse sentimento acabe ou diminua.

"(...) Existem coisas pelas quais vale a pena morrer ou passar fome... mas não palavras.
- Talvez não essas palavras.
Ele se virou para olhar para mim, os traços tênues à luz das estrelas, mas esboçava um sorriso.
- Você sabe quais palavras?
- (...) E quanto a... eu te amo?" (p. 133)

Sinopse: Neste livro emocionante, repleto de ação, intrigas e detalhes históricos, as barreiras do espaço e do tempo são postas à prova pelo amor de um casal e pela coragem de sua filha em mudar o destino para salvá-los. Será possível alterar o passado?

Após tomar a difícil decisão de deixar a filha no século XX e viajar no tempo novamente para reencontrar seu grande amor, Claire Randall tem mais um desafio: criar raízes na América colonial do século XVIII ao lado de Jamie Fraser. Eles partem rumo à Carolina do Norte para encontrar um novo lar e contam com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma propriedade na região.

Enquanto isso, em 1969, Brianna Randall se une a Roger Wakefield, professor de história e descendente do clã dos MacKenzie, para encontrar as respostas sobre as próprias origens e sobre Jamie, o pai biológico que nunca conheceu.

Em meio às buscas, ambos encontram indícios de um incêndio fatal envolvendo os pais de Brianna. Mas Roger não pode lhe contar isso, porque sabe que a namorada tentaria voltar no tempo e salvá-los. Por outro lado, Brianna também não compartilha sua descoberta, pois tem certeza de que Roger tentaria impedi-la.

"- Mas você não vê como é pequena a ideia da morte entre nós dois, Claire? - sussurrou ele. (...) Eu estava morto, minha Sassenach... mas durante todo o tempo, amei você." (p. 341)

maio 13, 2016

[Livros] Elos do Destino - Catia Mourão

Título Original: Elos do Destino
Autor: Catia Mourão
Editora: Ler Editorial
Páginas: 166
Gênero: Ficção, Romance
País: Brasil
ISBN: 9788567765792
Classificação★☆☆☆☆
_______________

Elos do Destino foi meu primeiro contato com a escrita de Catia Mourão e, infelizmente, foi uma decepção enorme. Sem elo nenhum com coisa alguma, senti falta de ação, romance e, principalmente, história. 

Com uma premissa - no início - interessante, a autora se propõe a contar uma história de amor. De fato, há um romance, mas tudo acontece muito rápido, de maneira forçada e nada espontânea. Os personagens mal se conhecem e já estão pensando em casamento e filhos. Não há algo que faça com que o leitor torça pelo casal, até porque nada os impede de ficarem juntos. Sem reviravoltas, impedimentos e, até mesmo clímax, o romance sem graça não surpreende nem comove. 

Não é só o relacionamento dos protagonistas que é forçado, todas as relações no decorrer do livro acontecem da mesma forma, pessoas que acabaram de se conhecer tornam-se melhores amigas num piscar de olhos. Diálogos em excesso e um conteúdo fraco fizeram com que a leitura se arrastasse e em determinado momento eu cheguei a desistir da leitura. 

Catarina é uma jovem que se vê sozinha com um império nas mãos. Órfã e após ser traída pelo ex-namorado, ela decide recomeçar sua vida em uma cidade do interior. Lá, ela conhece um misterioso empresário que vai mexer com sua cabeça.

A sinopse é também um resumo de toda história, não acontece nada além disso - absolutamente nada. Eu queria poder tecer elogios à obra de Catia Mourão mas, infelizmente, não me vem à cabeça nada positivo desta leitura. Talvez o que tenha faltado seja uma ligação mais forte entre os personagens e uma história mais consistente, um elo entre livro e leitor.

"Mais um ponto para você, Bruno - pensou satisfeita. Mas percebeu também a ausência dele durante a semana e a completa falta de notícias, causou-lhe uma ansiedade além do normal. Uma sensação que ela definitivamente não queria repetir." (p. 65)

Sinopse: Elos do Destino é uma verdadeira obra de arte, escrita com o coração, e isso se torna visível ao longo da história. Catarina é uma moça solitária e traumatizada de diversas maneiras. Primeiro com a morte prematura de seus pais em um acidente de carro, seguida de uma forte decepção amorosa que abalou de vez sua estrutura emocional, e como se não bastasse, ela descobre um desvio financeiro na empresa que recebeu de herança. 

Em busca de uma vida mais tranquila, Cat decide se afastar de Porto Alegre e se mudar para um chalé em uma pequena cidade na serra gaúcha, onde poderá se isolar por alguns meses e ter uma vida mais calma, sem tantas responsabilidades; pelo menos é o que ela imagina até conhecer Bruno. 

Alto, lindo e cheio de atitude, Bruno se revela um homem íntegro, mas que guarda uma boa cota de segredos. O envolvimento entre Cat e Bruno se torna inevitável e a relação evolui naturalmente. Mas em meio à paixão eles vão esbarrar em um conflito de tirar o fôlego.

"Não sei o que está fazendo comigo - Bruno falou baixinho em seu ouvido -, mas estou me apaixonando por você." (p. 123)


maio 11, 2016

[Degustação] O Despertar do Lírio - Babi A. Sette (Flores da Temporada #2)

Sinopse: Lilian Radcliffe é uma jovem viúva e está feliz com sua vida isenta de emoções. Culpa do luto que não larga? Lilian jurou fidelidade ao marido no leito de sua morte.

Paralelo a isso, conhecemos Simon Thorn, homem frio e libertino, dono do maior antro de casa de jogos de Londres. Ele está a um passo de realizar seu plano de vingança contra o culpado pelo título de assassino que recebera anos atrás. O problema é que o canalha está morto e ele terá de usar a sua viúva recatada a fim de atingir seus objetivos.

De um lado, ela precisa manter sua honra intacta; de outro, ele quer seduzi-la e desmoralizá-la. No entanto, Lilian nunca se sentiu tão vulnerável e atraída por um homem. E Simon, por sua vez, demonstra sentimentos dos quais nunca imaginara sentir por uma mulher. A vingança e a honra se abalam quando nasce entre ambos uma paixão incontrolável. Mas, para ficarem juntos, terão de enfrentar segredos e mágoas profundas, um castelo trancado há seis anos, palco de uma morte misteriosa e, sobretudo, encarar os fantasmas do passado que assombram suas consciências.
___

A Babi A. Sette é uma das minhas autoras nacionais favoritas e sua escrita é tão apaixonante quanto seus protagonistas. Tenho certeza que em breve me encantarei perdidamente por mais um de seus galãs sedutores de época. Ficaram curiosos para conhecer mais sobre esse livro incrível? 

Confira o primeiro capítulo aqui!
Adicione no Skoob | Compre na Saraiva
Outros livros da autora: Entre O Amor e O Silêncio|A Promessa da Rosa

maio 03, 2016

[Resenha] A História de Nós Dois - Dani Atkins

Título Original: The Story Of Us
Autor: Dani Atkins
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Gênero: Ficção, Romance
País: Reino Unido
ISBN: 9788580415407
Classificação★★★★☆
_______________

A História de Nós Dois é um daqueles livros que conquistam um lugar no coração da gente. A escrita de Dani Atkins, sempre tocante e sensível me encantou uma vez mais e me fez chorar. Com reflexões sobre a vida, o destino e o amor, o romance traz uma mensagem bonita sobre amizade e perdão. 

Extremamente previsível e estático, o enredo criado por Dani Atkins, ao contrário do que aconteceu em seu romance antecessor Uma Curva no Tempo, não se desenvolve a ponto de surpreender o leitor. A falta de ação e suspense, no entanto, é compensada pela maestria com que a autora trata de temas complexos como a morte e a dor. Descrevendo o luto e suas consequências, a autora constrói uma narrativa sólida que nos conduz a uma série de reflexões.

Na sua despedida de solteira, Emma sofre um grave acidente de carro com suas amigas. Salva por um misterioso americano, a moça desenvolve por seu herói uma relação de gratidão e admiração. O rapaz, no entanto, parece estar ligado a ela e, apesar de estar ciente que ela está de casamento marcado, ele parece estar sempre pronto para salvá-la. 

A partir do momento que os caminhos dos dois se cruzam, a parede que os separa se torna cada vez mais frágil. Um sentimento forte faz com que eles se tornem amigos e juntos superem o que aconteceu naquele dia. Com a batida, uma das melhores amigas de Emma morreu, a linda e exuberante Amy. 

A saudade da amiga e o sentimento de culpa assolam as duas sobreviventes, uma por estar dirigindo o carro e a outra por estar às vésperas de um casamento e ter sido a causa de tudo. Mas nenhuma culpa é maior do que a que Emma sente por não ter mais certeza sobre seu amor por Richard. Depois da morte de Amy, eles cancelaram o casamento, mas o luto não foi a única razão. Naquele dia tudo mudou e conhecer Jack Monroe, o americano que a salvou tornou tudo ainda mais complicado.

Se há algo que admiro nas obras de Atkins é a forma como ela constrói relacionamentos. Seja amizade, laços familiares ou amorosos, cada relação entre os personagens carrega uma força narrativa incrível e palpável. A narração em primeira pessoa nos coloca na mente de Emma, mas são suas descrições que nos conectam a cada um dos personagens. Bem construídos, estruturados e cheios de personalidade, as pessoas que cercam a protagonista integram o detalhado retrato que a autora pinta. 

Com cores vivas e exuberantes, todos fazem parte de uma aquarela de lembranças. Uma das mais importantes e apaixonantes personagens é a mãe de Emma, que sofre da Doença de Alzheimer. Uma ex-pintora talentosa, a senhora alterna entre momentos de lucidez e completo vazio. Suas lembranças preciosas não a pertencem mais e a fragilidade da vida é outra vez questionada por Dani Atkins. O que somos sozinhos? Lembranças? Juntos somos mais que memórias, somos histórias e puro amor.

"- Não se preocupe, minha ursinha, tudo vai dar certo, você vai ver.
Não sei bem o que me fez chorar ainda mais: se seu eterno otimismo; se o uso do meu apelido de infância, pelo qual ela não me chamava havia quase vinte anos; se o fato de que, pela manhã, somente uma de nós iria se lembrar de que aquilo tinha acontecido." (p. 200)

Sinopse: Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada. Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse.

Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal. Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?

"- Não sou aquilo de você precisa na sua vida agora, Emma. Mas, que Deus me ajude, estou usando cada grama de força que tenho para não puxá-la de volta aos meus braços e apagar em você a lembrança de qualquer homem que um dia você possa ter beijado." (p. 241)

Cortesia:EditoraArqueiro

maio 02, 2016

[Resenha] PSI-Q - Ben Ambridge


Título Original: Psy-Q
Autor: Ben Ambridge
Editora: Sextante
Páginas: 272
Gênero: Psicologia, Testes de Inteligência
País: EUA
ISBN: 9788543103372
Classificação★★★★☆
_______________

Um livro interativo diferente de tudo o que você já viu, PSI-Q nos leva a uma viagem consciente pelo nosso inconsciente. Com testes incríveis, Ben Ambridge nos mostra o quanto o nosso cérebro é fascinante e como podemos nos conhecer melhor a partir desses experimentos. O leitor encontra em suas mais de duzentas páginas: questionários, piadas, histórias, estudos, diagramas, ilusões de ótica e muito mais.

Uma proposta tão descontraída quanto científica faz com a leitura seja agradável e interessante. Discutindo padrões de comportamento e tendências psicológicas, o livro nos ensina a observar  que pequenas decisões ou hábitos podem ser examinadas e revelar muito sobre nosso psicológico.

Temas complexos como estímulo, motivação, padrões comportamentais, racismo, entre outros, são dissecados e expostos de uma maneira inovadora. Sob a luz de pesquisas conceituadas pela ciência, Ambridge traz uma infinidade de teorias a serem discutidas e, se for o caso, aplicadas. O autor também desconstrói alguns mitos impregnados em nossa sociedade e nos desafia a romper paradigmas estabelecidos há séculos. 

Com uma análise detalhada do comportamento humano podemos perceber os padrões para os quais nos encaminhamos de maneira automática e, assim, tentar modificá-los. Um dos livros mais desafiadores e esclarecedores sobre psicologia - para leigos -, PSI-Q deveria ser lido, discutido e aplicado por todos, afinal, se nos conhecêssemos um pouco melhor poderíamos evitar muitos dos nossos problemas.

"Na verdade, o paradoxo é uma ferramenta bem útil não apenas para entendermos o comportamento humano, mas para podermos criar ideias de como mudá-lo para melhor." (p. 242)

Sinopse: A psicologia tem um objetivo bastante ambicioso: desvendar as motivações ocultas por trás de absolutamente tudo que fazemos. Em Psi-Q, Ben Ambridge nos mostra o que os experimentos conduzidos nas universidades mais prestigiosas do mundo revelam sobre nós mesmos, traduzindo para uma linguagem fácil, acessível e divertida os conceitos mais básicos da psicologia.

Com testes interativos, piadas e jogos, você vai identificar os traços marcantes da sua própria personalidade, avaliar sua inteligência e descobrir quais valores morais determinam o seu comportamento. Quando chegar ao fim do livro, vai se dar conta de que passou a se conhecer muito mais e a tentar compreender melhor as atitudes dos outros.

"(...) Ao se deparar com um dilema, tente pensar se existe alguma situação familiar que possa servir como analogia. Tente encontrar saídas por meios menos convencionais." (p. 101)

Cortesia:EditoraSextante

maio 01, 2016

[Promoções] Resultado - Top Comentarista - Abril (2016)


Abril chegou ao fim e com ele o Top Comentarista do mês! Uhul o/ E chegou a hora de anunciar o vencedor do Top Comentarista do mês passado. Primeiro, quero agradecer a todos que participaram e comentaram em todos os posts do mês, obrigada, mesmo! 

Sem mais delongas, utilizei o sorteador para escolher entre os participantes que comentaram em todas as postagens de Abril e a ganhadora foi: Maria Fernanda Pinheiro! o/

Parabéns, Fê!! 
Você tem 48 horas para responder meu email com seus dados.

E nesse mês de maio não teremos Top Comentarista :/
Mas preparem-se porque vem por aí uma promoção de derrubar forninhos.

<3 Mil beijos ;*
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...