setembro 24, 2017

[Livros] Meus Dias Com Você - Clare Swatman

Título Original: Before You Go
Autor: Clare Swatman
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Gênero: Romance, Ficção
País: Inglaterra
ISBN: 9788580417401
Classificação★★★★☆
_______________

Romance de estreia de Clare Swatman, Meus Dias Com Você narra uma emocionante história de arrependimento, perda e amor. Apesar do clichê romântico já visto em diversos filmes do gênero, a narrativa comove e nos faz pensar sobre as consequências de cada pequena ação. O casal de protagonistas é tão cheio de falhas que chega a ser palpável e, apesar de ser ficção, não é difícil se colocar no lugar deles.

A temática - voltar no tempo para consertar as coisas - é uma velha conhecida dos fãs de ficção científica que tem sido misturada aos romances contemporâneos. Quando incorporada à reflexão e ao arrependimento da protagonista, a chance de mudar o passado e, assim, tentar afetar o presente se torna seu objetivo. Ainda que exista paradoxo de que nada pode realmente ser mudado, o leitor torce para que tudo dê certo.

Começando pelo final e de forma impactante, a trama se desenvolve a partir da morte de Ed. Sua esposa, Zoe, se vê desolada e arrependida por ter brigado com ele na manhã do acidente. Eles nem sequer se despediram e a última vez que se viram sentiam raiva um do outro. O sentimento que o primeiro capítulo gera é de tristeza e angústia porque tantas vezes ficamos furiosos com alguém sem pensar que aquele pode ser nosso último encontro. As coisas pelas quais brigamos têm mesmo tanta importância?

No entanto, algum tempo após a morte do marido, Zoe acorda em um tempo diferente, num lugar conhecido onde Edward Williams ainda não morreu. Ela está na faculdade, no dia em que viria a conhecer o amor da sua vida e tem a chance de tentar mudar as coisas, quem sabe tentar salvá-lo.

Zoe recebe o privilégio de reviver os dias mais importantes da sua vida, mas por mais que tente mudar as coisas, as consequências são sempre as mesmas. Ela, então, decide aproveitar essa segunda chance para amar o marido de novo, mais do que amou pela primeira vez. É absolutamente devastador o desespero da protagonista ao fechar os olhos, sem saber se aquela será a última vez em que verá Ed. É um choque ainda maior pensar que deveríamos nos sentir assim todos os dias.

Apesar de previsível e clichê, Meus Dias Com Você traz uma mensagem tão linda que pouco importa se já a vimos diversas vezes. Às vezes, somos obrigados a viver uma experiência mais de uma vez para finalmente aprender algo com ela. Ainda não podemos alterar o nosso passado ou reviver nossos momentos favoritos, mas podemos aproveitar cada segundo como se fosse o último quando tomamos a consciência de que um dia será mesmo. 

"Quero dizer a ele que nunca é o momento certo, que a vida é muito curta para jogar as coisas fora, para perder tempo, para ficarmos separados. Mas não posso, e sei que um cara de 19 anos não tem como compreender isso." (p. 43)

Sinopse: Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta? Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.

Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?

Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.

A partir desse instante, Zoe passa a reviver momentos cruciais de sua vida e percebe que talvez tenha conseguido uma segunda chance: uma oportunidade de fazer tudo diferente, de focar naquilo que realmente importa, de mudar os rumos do relacionamento – e, quem sabe, o destino de seu grande amor.

"Ele está tão bonito e tão jovem, usando calça jeans rasgada no joelho e os cabelos caindo nos olhos, e meu coração se aperta um pouco mais, quase explodindo de amor. Meu Ed. 
E então aqui está ele, na minha frente, e seu rosto se abre em um sorriso largo quando me vê, e é como se o sol tivesse nascido." (p. 60)


Um comentário:

Deixe sua sugestão, opinião ou crítica. Prometo lê-las com carinho. Mil beijos, Mari Siqueira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...